O CAMINHO DA TRANSFORMAÇÃO

“E todos nós com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito” (2 Coríntios 3:18).

Você gostaria de ser diferente? Você se entristece quando descobre muitos comportamentos e atitudes na sua vida que deveriam não existir? Ou você acha que está tudo bem e são as pessoas ao seu redor que precisam mudar? Enquanto não entrarmos na eternidade, todos nós temos muitas coisas que mudar. Só que nem sempre é fácil. Às vezes até achamos que mudamos, mas acabamos voltando aos antigos caminhos. Paulo nos mostra o caminho para a transformação real.

Em primeiro lugar, nós devemos lembrar que o nosso objetivo é alcançarmos a própria imagem de  Cristo. Em outras palavras, não podemos nos dar por satisfeitos até que sejamos perfeitos em Cristo, até que cheguemos à estatura de varão perfeito, até que a plena glória do Senhor brilhe através de nós. Esse é um objetivo extremamente elevado, mas “aquele que começou a boa obra em nós há de completá-la até o dia de Cristo” (Fl 1:6).

Em segundo lugar, devemos lembrar que a transformação é prioridade de Deus em nossas vidas. Nada é mais importante que isso. Na verdade, esse é o propósito de Deus, com paulo escreveu: “Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos” (Rm 8:29). O que tem sido prioridade em sua vida? Nós descobrimos nosso verdadeiros valores quando descobrimos quanto tempo, atenção e dinheiro estamos investindo em certas coisas. No afã de conquistarmos as coisas materiais, nos esquecemos de que nossa vida de comunhão com Deus é mais importante.

Em terceiro lugar, essa transformação acontece quando contemplamos a Cristo. O véu que cobria os nossos olhos espirituais foi removido pelo poder do Espírito Santo. Agora vemos quem é Jesus, o que significa ser uma nova criatura, como o sacrifício de Cristo nos salvou. Mas como nós contemplamos a Cristo? Nós olhamos para Cristo como alguém olha no espelho. Só que a imagem que vemos lá não é nosso reflexo, mas é a glória de Cristo. Quando mais olhamos para Cristo, mais conhecemos quem Deus é, pois Cristo é “a imagem do Deus invisível” (Cl 1:15). Estamos tão envolvidos na correria do dia a dia que não conseguimos separar tempo para nós mesmos com Deus. A transformação só é possível quando dedicamos tempo e atenção em meditarmos na glória de Cristo como está revelada na Palavra de Deus. Não devemos ler a Bíblia simplesmente para buscar mensagens para nossos desejos egoístas, mas para conhecer a glória de Deus na face de Cristo. Quando mais aprendemos a contemplar, mas experimentamos a vontade de Deus, como está escrito:  “Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12:2).

Em quarto lugar, devemos nos dedicar a um constante crescimento espiritual. A transformação não acontece de forma instantânea e completa. Ela é gradual, é um processo, é “de fé em fé” (Rm 1:17).  Quanto mais contemplamos a glória de Cristo, mas parecidos ficamos com ele. Não devemos desanimar quando descobrimos que ainda há muitas áreas para mudar. Pelo contrário, vale a pena perseverar em nosso crescimento espiritual até que as pessoas mais próximas de nós podem dar testemunho de que Deus tem trabalho em nossas vidas. O importante é que haja progresso espiritual, que possamos ver que hoje estamos mais maduros do que ontem e que amanhã, estaremos mais perto da imagem de Cristo. “Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havemos de vê-lo como ele é. E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro” (1 Jo 3:2,3).

Em quinto lugar, a transformação só é possível pela ação sobrenatural do Senhor, através do Espírito Santo que habita em nós. Uma transformação radical assim jamais pode ser alcançada pelo mero esforço humano. Nossas melhores tentativas simplesmente vão fracassar porque o objetivo é tão elevado, tão sublime, que só pode ser alcançado pela manifestação do poder do Senhor em nós. Por isso, nada pode substituir a oração, a confissão, a humilhação e a busca contínua do Senhor para que experimentemos essa transformação.

O caminho da transformação ensinado por Paulo é muito diferente das mensagens que ouvimos hoje, mas é o caminho de Deus. Por isso, Deus nos conceda a graça e a determinação para sermos cada vez mais parecidos com Cristo, até que o vejamos como ele é!

Jorge Noda.

Deixe um comentário

Or


− dois = 4